Quando Te amarei

sexta-feira, 27 de junho de 2014



QUANDO TE AMAREI

Por Srila Atulananda Acarya



Quando Te amarei? Quando Te quererei?
Quando Te servirei, meu Senhor? 

Quando será um lótus puro meu coração?
Quando virás na noite
A roubar-me, zeloso, o sono?

Quando me terás de dia
Consagrado a Ti com tudo?

Quando gravarás Tua recordação
Na rocha de meu coração?

Quando Te verei? Quando Te ouvirei?
Quando Te saberei dentro de mim?

Quando tirarás esta cortina de ilusão
E Te apoderarás do que é Teu, meu Senhor?

Se me criaste para Ti
Não Te escondas, por favor,
Pois não se pode prescindir
De Teu generoso amor

Quando Te terei? Quando Te amarei?
Quando poderei saber que Te dei um prazer?

Quando não verei nem lua nem sol
E só perceberei Tua presença, meu Senhor?

Quando me terás e serei Teu “das”
Um brinquedo de Tua vontade?

Quando me chamarás
De Tua bela pastagem
E poderei Te servir?

A doçura da palavra amor

terça-feira, 17 de junho de 2014




A DOÇURA DA PALAVRA AMOR
Por Bhaktivinoda Thakur

Amor é uma palavra muito doce, quando ela é falada, um doce sentimento se manifesta no coração de ambos: a pessoa que falou e a pessoa que a escutou. Mesmo que poucos sejam capazes de entender seu verdadeiro significado, todo mundo gosta de escutar essa palavra. Todas as entidades vivas são controladas pelo amor. Muitos até mesmo abandonariam suas vidas por isto.
Amor é o único objetivo da vida humana. Muitos pensam que a satisfação dos seus desejos é o objetivo primário da existência, mas isso é errado. Por amor, um homem pode sacrificar o seu próprio interesse. Autossatisfação causa a busca por sua própria felicidade e autonomia. Mas amor causa o sacrifício de todo o interesse próprio para a satisfação da coisa ou pessoa que é querida por alguém. Mesmo que haja uma disputa entre amor e luxúria, o Amor é sempre vitorioso.

Ustrasana

quarta-feira, 4 de junho de 2014




POSTURA DO CAMELO

Esta é uma postura de extensão da coluna. Deve-se ter o cuidado de são sobrecarregar o peso na cervical ao soltar demais a cabeça para trás.
Nós fazemos uma preparação para chegar ao final indo com uma mão de cada vez ao pé e estendendo o outro braço à frente e permanecendo por algumas respirações com cada lado. Se possível, depois leva-se as duas mãos aos tornozelos para permanecer novamente, se não, termina apenas realizando a variação.
Com o tempo a coluna ganha o alongamento necessário para finalizar a postura.
É recomendado em posturas como esta de haver um professor que possa conduzir o praticante.